Albion – Resposta 3.

Nome: Maria Elisa Caetano Silva
Empresa: UNICAMP (University of Campinas)
Palestrante: Dr. José João Name

Pergunta:
Sou aluna de doutorado em alimentos e nutrição e estudo quelatos de ferro sintetizados com hidrolisados de proteína de soro de leite. Gostaria de saber sua opinião a respeito da quelação de ferro com peptídeos e não aminiácidos puros. No caso do Fermocel, a amorção de ferro nos enterócitos se dá com o mineral na forma de quelato ainda ou ele seria liberado na borda em licova?

Resposta:
Um dos fatores limitantes da absorção de um composto mineral quelado é o tamanho da molécula que, por definição, não deve ultrapassar 800 daltons. O ferro bisglicinato tem, por exemplo, 254 daltons, sendo suficientemente pequeno para ter alta biodisponibilidade. Acima destes valores quando o quelato se compõe de peptideos ou proteínas ele deve se submeter ao processo digestivo, o que leva ao risco da liberação do metal e sua interação como sal mineral comum com fatores antinutricionais, sem as vantagens do quelato nutricionalmente funcional. O quelato verdadeiro é absorvido intacto e hidrolisado no interior das células mucosas.

Uma resposta em “Albion – Resposta 3.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.