Vitamina C e A Gripe

shutterstock_60029018

O resfriado comum é uma das principais causas de visitas ao médico. Existem diversos vírus que podem causar seus sintomas, como corrimento nasal, congestão, espirros, dor de garganta, tosse e às vezes, dor de cabeça, febre e olhos vermelhos.

Estudos passados mostraram que a vitamina C pode prevenir e aliviar o resfriado comum. Desde então, ela é muito vendida  e utilizada como um agente preventivo e terapêutico. Entretanto, pesquisas recentes mostram que a suplementação diária e regular teve um efeito muito pequeno na prevenção de resfriados. No entanto, o uso da vitamina C se mostra bastante significativo na redução dos sintomas do resfriado comum e, quando usado por praticantes de atividade física de alta intensidade, os indivíduos reduziram pela metade o risco da doença.

Explicando de forma mais simples: Acreditava-se que o consumo de vitamina C evitava o aparecimento de resfriados. No entanto, recentemente foi descoberto que não é bem assim. O resfriado vai sim aparecer mesmo com o uso da vitamina C, mas o consumo desta  leva à diminuição do tempo da doença, além de amenizar seus sintomas. Sendo assim, em alguns casos a suplementação é indicada — mas lembrando, sempre que você deve consultar um nutricionista ou médico para que seja melhor orientado. É preciso saber se para você é indicado e quais as quantidades a serem usadas. Excesso de vitamina C pode ser prejudicial a saúde!

Nem sempre é preciso uso de suplementos da vitamina, basta consumir alimentos fonte desta vitamina. Por exemplo: um copo de suco de limão tem uma excelente dose de vitamina C, inclusive o dobro do suco de laranja. Outra boa fonte é o caju e acerola! Antes de correr à farmácia, cuide bem de sua alimentação!

 

Fonte: http://vejasp.abril.com.br/

Benefícios da Cúrcuma

curcuma

A Cúrcuma é uma planta de origem asiática, embora atualmente se cultive em muitas partes do mundo com clima quente e úmido. Esta é utilizada na cozinha como tempero. Além de dar um toque aromático à comida, também conta com muitos benefícios para a saúde.
A cúrcuma utiliza-se para melhorar a digestão e também ajuda a reduzir os gases e o ocasional inchaço do estômago.
É uma boa aliada dos diabéticos, uma vez que ajuda a reduzir o açúcar no sangue.
Também pode ser um expectorante, podendo ser utilizada em resfriados para aliviar os pulmões e eliminar a mucosidade bronquial, abrindo as vias respiratórias.
O seu consumo também aumenta o fluxo de bílis e ajuda a decompor a gordura das comidas, podendo-se utilizar como suplemento nas dietas e é benéfica para o fígado.

 

Propriedades medicinais

A cúrcuma não serve apenas como especiaria na cozinha, mas também tem propriedades medicinais. É utilizada para aliviar mal estar, sobretudo gastrointestinal. A cúrcuma também é benéfica ao se aplicar de forma tópica podendo tratar doenças na pele como a psoríase. Por ter propriedades antissépticas também é benéfica para tratar cortes e feridas.
Cientistas encontraram um composto na cúrcuma chamado curcumina que é a maior responsável pelos benefícios para a saúde.

 

Curcumina

Este composto faz com que a cúrcuma tenha propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Quanto às propriedades anti-inflamatórias, a curcumina é popular entre as pessoas que sofrem de artrite. Para os desportistas também é recomendada, pois ajuda a manter as articulações em bom estado, evitando que se inflamem.
Também tem outras propriedades bastante importantes como anticancerígenas. Além disso, a curcumina também ajuda as funções cerebrais através da proteção das neuronas. Traz consigo a esperança para ajudar a prevenir o Alzheimer.
Outro benefício é a propriedade anticoagulante, tendo a capacidade de ajudar a diluir o sangue, reduzindo a oxigenação da placa nas paredes das artérias. Por isso, é benéfica também às pessoas com a pressão arterial alta ou o colesterol alto, protegendo contra os ataques de coração e acidentes cerebrovasculares.

 

Fonte: http://saude.umcomo.com.br/

Suco a base do soro do leite

 

Uma bebida refrescante que une o soro do leite – e seus atributos nutricionais – ao sabor da fruta. Essa é a essência do suco Batavo Hidra. O lançamento dá continuidade ao reposicionamento da Batavo, que busca inspiração na natureza para desenvolver seus produtos, e é também uma resposta à demanda do mercado por produtos saudáveis.

Refresca e hidrata: A base de soro de leite do Batavo Hidra garante ao novo suco uma rica combinação de proteína, vitamina C, selênio, magnésio, potássio, fósforo e cálcio. Para se ter uma ideia do valor nutritivo, uma porção de 330 ml de Batavo Hidra contém o equivalente ao potássio de uma unidade grande (92 g) de banana-prata e ao fósforo de 2,5 fatias grandes (100 g) de queijo fresco.

A utilização de soro de leite é importantíssima, pois este seria descartado, poluindo o meio ambiente. Com o desenvolvimento destes novos produtos só temos a ganhar, principalmente em saúde.

 

Fonte:
http://propmark.uol.com.br/
http://foodinsight.org

Vitaminas Hidrossolúveis, o que são?

Vitaminas Hidrossolueis

As vitaminas são essenciais para saúde. Estas são classificadas por suas solubilidades e não pelas funções que exercem. Uma fatia desta divisão são as chamadas vitaminas hidrossolúveis. Solúveis em água, essas vitaminas são absorvidas pelo intestino e transportadas pelo sistema circulatório até os tecidos em que serão utilizadas.

 

Estas vitaminas são:

Vitamina B1: Mantém a saúde do sistema nervoso e circulatório, previne o envelhecimento precoce e melhora a atividade do cérebro.
Está presente em alimentos como feijão, berinjela, carne bovina e de aves, etc.

Vitamina B2: Previne a catarata e ajuda a manter a saúde da pele.
Vegetais, grãos integrais, leite e carnes são apenas algumas de suas fontes.

Vitamina B3: Reduz os níveis de triglicérides e colesterol, regulamentação do açúcar no sangue, etc.
Pode ser encontrado em levedura, leite, gema de ovos, folhas, etc.

Vitamina B5: Auxilia no processo de desintoxicação química, na construção de anticorpos e disfunções hormonais.
Suas principais fontes são: carnes, ovos, leite e grãos integrais.

Vitamina B6: Além de diminuir as chances de doenças cardíacas, reduz espasmos musculares, alivia enxaquecas e ajuda a melhorar a visão.
Os alimentos que contém vitamina B6 são: cereais integrais, vegetais, feijões, aves, peixes e outros.

Vitamina B7: Auxilia o crescimento celular, produção de ácidos graxos e redução de açúcar no sangue, além de promover a saúde do tecido nervoso, medula óssea, etc.
Esta vitamina está presente em carne de aves, fígado, couve-flor e ervilha.

Vitamina B9: Beneficia os sistemas imunológico, circulatório e nervoso. Tem poder antitóxico e promove a saúde dos cabelos e da pele.
Suas fontes são fígado, rins, vegetais e couve-flor.

Por fim, a vitamina B12 que, além de auxiliar a síntese de células vermelhas do sangue, oferece a manutenção do sistema nervoso.
Pode ser encontrada em alimentos como: queijo, peixes, fígado, rins e carne.

 

Fonte: http://www.foodinsight.org

Ferro “hem” ou “não hem”?

Ferro “hem” ou “não hem”

O ferro é um elemento essencial para processos metabólicos como o transporte de oxigênio, o metabolismo oxidativo e o crescimento celular. É um constituinte normal do corpo humano e distribui-se amplamente tanto na forma orgânica como na forma inorgânica. O Ferro é um nutriente indispensável para uma vida saudável. Mas você conhece mesmo o Ferro e seus benefícios?

O Ferro hemínico ou “hem”, é o que está presente em alimentos de origem animal: carnes, frango, peixe e seus subprodutos, constituindo 35% do total de ferro contido nestes alimentos. Já o Ferro não hemínico, também denominado como inorgânico, ou “não-hem” é composto por alimentos de origem vegetal, como o feijão, a lentilha, a soja, o inhame, a aveia e os vegetais verde-escuros (acelga, couve, brócolis, espinafre, mostarda).

E falando em absorção, o Ferro não-hem se torna muito menor em relação ao ferro hem. O ferro, independentemente do seu tipo, seja ferro “hem” ou ferro “não hem”, possui uma taxa reduzida de absorção. As taxas variam conforme o tipo, mas a absorção nos vegetais em geral é de 10%, do peixe cerca de 15% e da soja e seus derivados cerca de 20%. O tipo de alimento que apresenta uma maior taxa de absorção de ferro é o grupo das carnes, registando-se 30% de absorção efetiva.

Estima-se que quase 40% da população mundial apresentam carência de Ferro ou níveis baixos de hemoglobina, estabelecendo uma situação de risco que inclui indivíduos tanto de classes sociais mais privilegiados como dos mais carentes, especialmente o grupo materno-infantil: lactentes, pré-escolares, escolares, gestantes e nutrizes. A necessidade deste nutriente, seja hem ou não-hem, neste e em nos outros grupos é essencial , então, escolher sempre nutrientes com a presença do Ferro é ganhar tempo e saúde!

 

Fonte:
http://www.alimentacaosaudavel.org
http://www.nutritotal.com.br

Crianças e adolescentes não devem fazer dieta

shutterstock_73029886

Redução de consumo alimentar sem orientação pode levar a alterações no desenvolvimento e formação dos ossos, prejudicar o sistema imunológico e sobrecarregar órgãos

Induzidos pelo padrão de beleza atual, não é difícil encontrar pessoas ainda jovens já insatisfeitas com o próprio corpo. Isso acaba fazendo com que elas, muitas vezes, apelem para qualquer método de emagrecimento que encontram e sem nenhum acompanhamento especializado.

Isso pode gerar problemas para elas no futuro. “Na adolescência, o corpo ainda está em formação, especialmente os ossos”, alerta Maria Beatriz Braga, nutricionista do Einstein, que dá uma idéia sobre quando as pessoas podem pensar em dieta para perda de peso, ainda que de forma moderada. “Geralmente após a puberdade (maturidade sexual), que ocorre, aproximadamente, entre 10 e 13 anos para as meninas e entre 12 e 14 anos para os meninos.”

Segundo ela, o fato da criança estar acima do peso com relação às demais não deve ser encarado como um problema, já que ela ainda irá crescer. O importante é apenas fazer o controle da alimentação. “Geralmente nesta idade elas optam muito por fast food, não consumindo fontes de cálcio. As conseqüências disto elas só irão enxergar no futuro, já que correm maior risco de desenvolver doenças na idade adulta, como osteoporose, por exemplo.”

Padrão de altura e estética deve ter pais como base

“Não adianta ir muito contra a natureza”, conclui Maria Beatriz Braga ao comentar que os jovens não devem se comparar aos amigos ou ao que encontram na internet. “Se os pais são gordinhos, é importante que os filhos não exagerem nos alimentos, já que a família possui tendência”.

Por isso, conforme ela explica, o ideal é que os adolescentes tentem não exagerar em nada e comam de tudo um pouco. “O controle alimentar não tem idade, mas ele deve ser feito sempre com o acompanhamento de especialistas, como médicos e nutricionistas. Não adianta o jovem se empolgar com o que muitos treinadores falam e exagerar na dieta e academia”.

Bulimia: o extremo do controle do peso corporal

Vendo-se sem saída para melhorar seu corpo, muitos jovens, geralmente meninas, apelam para o perigoso hábito de vomitar após as refeições, o que leva a uma série de problemas. “Além de provocar a perda de peso de forma agressiva e não saudável, a bulimia pode prejudicar a concentração, mudar o humor, causar dores fortes de garganta e lesões nos dentes devido à presença do líquido ácido presente no estômago, que volta pela garganta durante os vômitos. Sem contar a enorme perda dos nutrientes, vitaminas e minerais que estão nos alimentos”.

Caso esta ação já tenha se tornado um hábito e o jovem não consiga mais parar de vomitar após as refeições, é necessário buscar ajuda de especialistas, como médicos, psiquiatras, nutricionistas e psicólogos.

“O ideal é que os adolescentes se conscientizem de que a alimentação equilibrada é a chave para o sucesso da boa nutrição. Deve-se comer de tudo um pouco, investir em alimentos naturais, deixar os fast foods e industrializados somente para serem consumidos em datas festivas, não deixando que seu consumo vire rotina. É válido priorizar o aumento do consumo de frutas e verduras”.

Fonte: Einstein Saúde

Show de Natureza!

 

Daniel Csobot é um incrível cineasta e fotógrafo que conseguiu capturar essas lindas imagens mostrando a completa germinação de sementes.
É um verdadeiro show da natureza! Seu trabalho foi, basicamente, tirar milhares de fotos, dia após dia, e juntá-las, formando o impressionante vídeo.

 

Fonte: JornalCiência