A Relação Entre Alimentação e Câncer de Mama

shutterstock_100258064

Outubro é o mês de conscientização sobre o câncer de mama, e dia 19 é o Dia Internacional Contra o Câncer de Mama. Trazemos aqui nosso último post da série. Não deixem de se informar e se examinar regularmente.

A alimentação pode pode afetar o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama. Como fatores tais como calorias, álcool e soja interpretam um papel? Uma nutrição inteligente e uma dieta que te mantenha em um peso saudável pode reduzir os riscos de câncer de mama, o diagnóstico de câncer mais comum entre as mulheres.

Dieta e Câncer de Mama: Risco Aumenta com Ganho de Peso

Entre mulheres na menopausa, a faixa etária mais suscetível ao câncer de mama, as evidências continuam a apontar para o excesso de peso como um fator de risco. Em um estudo recente, mulheres obesas em seus anos pós-maternidade têm 3,2 vezes mais chances de câncer de mama do que uma mulher com peso saudável. Os pesquisadores levaram em consideração outros fatores que afetam o risco, incluindo a idade da mulher, a idade em que ela entrou na menopausa, o histórico de câncer de mama na família, e sua história de maternidade.

Entre as sobreviventes de câncer de mama, pesquisadores estão começando a associar o excesso de peso com o aumento do risco de recorrência e mortalidade, dia Colleen Doyle, cirurgiã chefe, dietista registrada, diretora de nutrição e atividade física da Sociedade Americana de Câncer.

É tentador pensar que uma dieta de pouca gordura e cheia de vegetais reduziria o câncer de mama, mas a associação entre as dietas e a prevenção não se estendeu muito, Doyle explica. Em um estudo que mostrou a conexão entre uma dieta de pouca gordura e a redução do risco de recorrência do câncer de mama, as participantes também perderam peso. “Então não ficou claro – o efeito é da redução de gordura ou da perda de peso? Eu costumo pensar que é provavelmente a perda de peso, porque a ingestão de gordura foi desconsiderada como um fator de prevenção do câncer de mama,” diz Doyle.

Dieta e Câncer de Mama: Os Efeitos da Ingestão de Soja

Para promover uma boa saúde geral, nutricionistas gostam de recomendar alimentos a base de soja. Eles possuem um alto teor de proteína e sua composição com pouca gordura rende a eles um lugar no regime de controle de peso. Apenas por si só, no entanto, alimentos de soja não aparentam auxiliar a reduzir o câncer em geral ou de mama especificamente.

“O tofu certamente se encaixa na nossa mensagem ter uma dieta baseada em plantas,” diz Doyle, “mas não há provas sólidas de que a soja reduz o risco de câncer de mama. Entretanto, há inúmeras outras razões para se comer soja. Ela é repleta de fitoquímicos e antioxidantes, que oferecem benefícios à saúde.”

A soja contém uma dose muito baixa de fitoestrogênio (estrogênio derivado de plantas), levantando a questão de que alimentos a base de soja possam aumentar cânceres hormonais, como o de mama. O problema em questão são as sobreviventes. “Nossa recomendação é de que é provavelmente seguro para sobreviventes do câncer de mama ingerirem quantidades de soja similares à dieta moderada asiática, em que não se consome mais do que três porções de produtos de soja por dia,” diz Doyle.

Isso pode soar como muita soja, mas pode ser apenas um bebida de soja pela manhã, sopa de miso no almoço e tofu no jantar, aponta Shayna Komar, nutricionista do Cancer Wellness em Piedmont, Atlanta, nos Estados Unidos.

Níveis moderados de alimentos fontes de soja aparentam não posar riscos de câncer de mama, mas nutricionistas recomendam não usar soja em pó ou suplementos similares. O nível de fitoestrogênio nesses produtos é desconhecido e podem ultrapassar os níveis saudáveis, diz Doyle.

Dieta e Câncer de Mama: Álcool e Aumento de Risco

O álcool parece aumentar o risco de câncer de mama, particularmente se uma mulher tem níveis baixos de folato, uma vitamina B solúvel em água que é encontrada em vegetais verdes e leguminosas. Por enquanto, a Sociedade Americana de Câncer recomenda que mulheres não consumam mais do que um copo de álcool por dia, mas Doyle aponta que até mesmo duas ingestões por semana podem aumentar o risco de uma mulher ter câncer de mama.

A incerteza aumenta, diz Doyle, por causa da estrutura dos estudos do relacionamento do álcool e do risco de câncer de mama. A maioria destes estudos que examinam o efeito do consumo de álcool começam com um copo por dia, e não capturam efeitos que podem começar com níveis menores que este.

O que complica a situação é o fato de que foi estabelecido que o consumo moderado de álcool diminui o risco de doenças cardíacas, a maior causa de mortalidade de mulheres nos Estados Unidos. “A mensagem para mulheres sobre o álcool e a prevenção do câncer de mama é que é importante ter em mente seu risco de desenvolver o câncer e doenças cardíacas e fazer uma decisão informada sobre beber qualquer quantidade. Se você já não bebe, não há porque começar,” diz Doyle. “Há muitas outras maneiras mais saudáveis de prevenir doenças do coração.”

Fonte: Everyday Health

2 respostas em “A Relação Entre Alimentação e Câncer de Mama

  1. Pingback: Sinais e Sintomas do Câncer de Mama | + Bio

  2. Pingback: Inclua o pêssego na sua dieta! | + Bio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: