Mercado deverá seguir em baixa em curto e médio prazos.

De maneira geral, com as chuvas mais regulares, as condições das pastagens estão melhores no Brasil Central e Centro Sul. Este fato contribui para o aumento da produção de leite e diminui a necessidade de suplementação concentrada dos animais nos sistemas a pasto. No Sul do país, a expectativa é de queda a estabilidade na produção de leite em curto prazo, contrapondo os aumentos nas demais regiões. leite_por_regiao_141201 Na região Sudeste, as quedas nos preços do leite ao produtor variaram entre 1,7% no Rio de Janeiro e 4,1% no Espirito Santo. No Sul do país, os recuos giraram em torno de 3,0% no pagamento de novembro, em relação ao pagamento anterior. Para o pagamento de dezembro (produção de novembro), a expectativa é de queda no preço do leite ao produtor. Além do aumento da produção, a demanda por lácteos, em especial por leites fluídos, diminui no final de ano, com as férias e festas. Nenhum laticínio acredita em alta dos preços ao produtor nos próximos dois pagamentos. Nas regiões Sul e Sudeste, respectivamente, 94,0% e 92,0% dos laticínios apontam queda de preço em dezembro. Para o pagamento de janeiro do ano que vem, persiste a pressão de baixa.   Fonte: http://www.brafil9.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s