LACC3: Microencapsulação – Perspectivas de Aplicação em Produtos de Panificação, por Izabela Dutra Alvim.

Dando continuidade à série de posts com alguns dos temas a serem abordados nas palestras da LACC3 (Latin American Cereal Conference), que vai acontecer em Curitiba, de 29/03 a 01/04 de 2015. E nāo esqueça: A cada semana iremos postar uma matéria com um novo tema que envolve a conferência. Não perca.

Hoje vamos falar da pesquisa feita por Izabela Dutra Alvim, que possui graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade Federal de Viçosa (1997), mestrado (2001) e doutorado (2005) em Alimentos e Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas. Entre 2006 e 2008 foi bolsista pos-doc pela Fapesp no Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. Atualmente desenvolve pesquisas em microencapsulação aplicada à produtos alimentícios no Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolates, no Instituto de Tecnologia de Alimentos. Tem experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Alimentos e Nutrição, atuando principalmente nos seguintes temas: sistemas microestruturados para aplicação em alimentos com enfase em microencapsulação para proteção e liberação controlada de substâncias ativas e substituição de microestruturas em alimentos.

izabeladutraalvim_32362

Segue aqui um pouco de sua pesquisa sobre Microencapsulação de substâncias com propriedades funcionais para aplicação em alimentos:
A população vem reavaliando seus hábitos alimentares, consciente dos benefícios que o consumo de determinadas substâncias podem trazer à saúde. A indústria de alimentos, para manter-se competitiva, é desafiada a desenvolver produtos voltados para necessidades desses consumidores que buscam por praticidade no consumo, atratividade ao paladar, perfil nutricional equilibrado e saudabilidade. No entanto, o processamento de alimentos pode degradar os compostos funcionais, naturalmente presentes ou adicionados, prejudicando sua biodisponibilidade no organismo e, além disso, essa degradação pode mudar características do produto como textura, sabor, cor, etc.. Uma forma de minimizar os efeitos citados acima é a microencapsulação de substâncias, que se baseia na retenção destas em estruturas que permitam separá-las do ambiente, evitando efeitos que sejam danosos a elas ou ao produto. O objetivo deste trabalho é desenvolver micropartículas, contendo fitosteróis, tocoferóis ou ácido ascórbico como substâncias funcionais, para aplicação em alimentos, especificamente àqueles com baixa atividade de água, visando a proteção das substâncias à condições de processamento que envolva altas temperaturas, sistemas complexos (açucarados e gordurosos) e estocagem prolongada. Dois modelos de partículas estão sendo propostos: lipídicas obtidas por spray cooling, ou de carboidratos obtidas por spray drying. Este trabalho inicia pesquisas sobre microencapsulação no Centro de Tecnologia de Cereais e Chocolates (Cereal Chocotec – ITAL) visando atender a atual política nacional de inovação, que busca aumentar a competitividade da indústria brasileira, nos mercados interno e externo, pela inclusão de tecnologias inovadoras no país.

Fonte: http://www.bv.fapesp.br

 

01-e33cbfbc

Ainda nāo se inscreveu na LACC3 2015? Entāo nāo perca tempo!

http://lacc3brazil.com/inscricoes/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s