Luminus Life: um novo conceito em bebida funcional.

luminus

Estamos sempre em busca de produtos que sejam práticos para o dia a dia, mas também que sejam saudáveis, eis que nos deparamos com o Luminus Life, uma bebida funcional desenvolvida pela WNutritional,  empresa de ciência aplicada em alimentos, que reúne um mix de vitaminas e elementos bioativos à base de frutas.

A bebida contém ômega 3 (DHA), é fonte de fibras, cálcio, vitamina C e D, e ácido fólico, combinando os nutrientes com as propriedades das frutas. Além de sua exclusiva fórmula complementar os elementos que costumam faltar na dieta do dia a dia, o produto é de baixa caloriasem adição de açúcar e sem conservantes. Dependendo do sabor, a quantidade de calorias varia de 29 kcal a 40 kcal (porção de 200 ml).

O Luminus Life já recebeu o selo da Associação Nacional de Assistência ao Diabético (ANAD) e a certificação Kosher do BKA, um dos órgãos fiscalizadores da comunidade judaica. O produto está disponível nos sabores laranja, manga, pêssego e uva com cranberry, em embalagens de 200 ml e de 1 litro. Para saber onde encontrar, acesse o site www.luminuslife.com.br.

 

Fonte: http://www.nutricaopraticaesaudavel.com.br

Piracanjuba apresenta nova linha de leites especiais.

dieta+

A marca Piracanjuba lançou dois produtos na linha de leites especiais: Dieta+ Fibras e Dieta+ Cálcio.

O leite Dieta+ Fibras tem 0% de gorduras e contém 3 gramas de inulina por porção de 200 ml, uma fibra prebiótica que resiste à digestão no estômago e no intestino delgado, chegando ao intestino grosso intacta, o que ajuda a estimular a multiplicação de bactérias benéficas.

Já o leite Dieta+ Cálcio é desnatado, enriquecido com cálcio e fonte de vitaminas A e D. Os lançamentos são saudáveis, nutritivos e contribuem para o bom funcionamento do organismo. Os produtos estão disponíveis em embalagens de caixinha de 500 ml.

Quer saber mais? Acesse o site da Piracanjuba.

LACC3 2015, fique por dentro!

 

01-e33cbfbc

Ainda nāo se inscreveu na LACC3 2015? Entāo nāo perca tempo!

http://lacc3brazil.com/inscricoes/

Iogurte e o mercado brasileiro

raspberry2

Aqui no Brasil, a oportunidade de venda de iogurte reside no aumento da frequência de seu consumo. Brasileiros de classe AB, são grandes consumidores ​​de iogurte, 79% destas classes tendem  a consumi-lo, e três em cada cinco destes consomem pelo menos uma vez por semana. Mesmo que estes públicos tomem muito iogurte, e sempre o tenham em casa, ele é mais comum como parte do café da manhā do que em demais horários do dia.

O crescimento das vendas também é muito influenciado pelo aumento do consumo da classe C. Eles não são os principais consumidores, em termos de frequência de compra, mas a maioria deles consomem o produto mensalmente.

O desafio no setor de vendas é claro: fazer do iogurte o item mais comum nas mesas de mais de metade dos brasileiros e trazendo inovação em termos de sabor, embalagem e tipos para agradar os consumidores mais sofisticados.

Iogurtes líquidos têm dois posicionamentos no mercado brasileiro: o primeiro é o em garrafas, com uma média de 1 litro, e um foco no consumo familiar e pequeno-almoço. O segundo é em porções individuais e pronto para beber, geralmente com 180 gramas e um apelo portátil para ser levado para qualquer lugar.

Por este motivo, também é o alvo de alguns audiências diferentes, com diferentes proporções de consumo. Os principais grupos são jovens com idades entre 16-24 anos que consomem iogurtes líquidos especialmente para a sua conveniência e portabilidade, e as mães, especialmente aqueles que têm crianças de 3-7anos . Para esses consumidores, iogurtes líquidos têm uma grande relevância como uma opção de merenda escolar para os seus filhos, e também são muito bem-vindos no seu pequeno-almoço.
Iogurtes líquidos também agradam a homens e mulheres com idade entre 25-34 anos por ser uma opção de lanche conveniente que pode ser apreciado durante o trabalho. Opções funcionais que não têm conservantes e aqueles que agregam benefícios para a saúde, como a reposição de energia, são os mais atraentes.

 

 

Fonte: http://www.mintel.com/

 

Aumento das exportações brasileiras de lácteos em 2014

lácteos-6

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em Outubro de 2014 o Brasil importou US$45,2 milhões em produtos lácteos. Na comparação com o mês de Setembro de 2014, as importações aumentaram 32,3%. Naquele mês, as compras totalizaram US$34,2 milhões. O volume também aumentou na mesma proporção. Passou de 7,8 mil toneladas importadas em setembro para 10,7 mil toneladas em Outubro, ou 36,3% mais.

O produto mais importado foi o leite em pó. Foram 5,2 mil toneladas importadas, seguido do soro de leite (2,8 mil toneladas) e queijos (2,1 mil toneladas). Os principais fornecedores dos produtos lácteos para o Brasil, em valor, foram a Argentina (51,9%), o Uruguai (27,4%) e a Nova Zelândia (6,7%). Na comparação com o mesmo período do ano passado, tanto o volume como os gastos diminuíram, 19,8% e 23,6%, respectivamente. O aumento da disponibilidade interna, as quedas de preços no mercado brasileiro e a valorização do dólar em relação ao real, foram os principais fatores de queda nas importações de lácteos este ano.
Com relação às exportações, em outubro o Brasil exportou US$34,4 milhões em produtos lácteos, segundo dados MDIC. Na comparação com Setembro, este valor foi 121,0% maior. Em setembro o faturamento foi de US$15,5 milhões. O volume também aumentou, de 4,2 mil toneladas em setembro para 8,2 mil toneladas embarcadas em outubro. O produto mais exportado foi o leite em pó. Foram 6,9 mil toneladas, com um faturamento de US$29,7 milhões em setembro.
Os principais destinos dos produtos lácteos brasileiros em outubro, em valor, foram a Venezuela, a Rússia e Taiwan, respectivamente. A melhora na disponibilidade de leite no mercado brasileiro e a abertura de novos mercados colaboram com este cenário. O dólar valorizado em relação ao real também beneficia o embarque de produtos brasileiros.

Fonte: http://guialat.com.br

Seu alimento: da Fazenda à sua Mesa.

Do campo para a sua mesa, muita coisa já mudou – e melhorou – desde os primórdios da agricultura, tanto para agricultoras quanto para consumidores. Este vídeo mostra, de forma super suave, esta história.

 

 

Fonte: https://www.youtube.com/user/FoodInsightTV