Bebidas diet realmente ajudam a manter o peso?

Bebidas diet realmente emagrecem?

Muitas pessoas que preferem tomar refrigerante diet pela ausência do açúcar acabam engordando em vez de emagrecer e até mesmo chegam a desenvolver problemas crônicos como diabetes. A constatação pode parecer contraditória, mas não é. Um estudo publicado recentemente no periódico científico Applied Physiology, Nutrition, and Metabolism sugere que o aspartame, um adoçante artificial, pode ser o vilão dessa história.

Os adoçantes artificiais são alternativas sintéticas ao açúcar. Seu sabor pode ser até 20.000 vezes mais doce e tem a grande vantagem de não conter calorias. Por isso, são utilizados em larga escala em bebidas diet, de baixa ou zero calorias e frequentemente são recomendados para pessoas com diabetes tipo 2.

Entretanto, um novo estudo sugere que a quebra do aspartame no intestino interfere com ação da enzima fosfatase alcalina intestinal, crucial para a neutralização de toxinas nocivas chamadas lipopolissacarídeos produzidas pelas bactérias que vivem lá. Essa interação leva ao acúmulo de toxinas, o que por sua vez irrita o revestimento intestinal causando pequenas inflamações que podem, em última instância, causar doenças crônicas.

“Há muito disso [enzima] em nosso intestino e ela parece nos proteger, permitindo-nos viver simbioticamente com as bactérias. Nossos resultados estão fornecendo um mecanismo para o por que o aspartame nem sempre pode ajuda a manter as pessoas magras, ou ainda porquê pode causar problemas como obesidade, doenças cardíacas, diabetes e síndrome metabólica”, disse Richard Hodin, pesquisador do Hospital Geral Massachusetts, em Boston, nos Estados Unidos e um dos autores do estudo.

No estudo, Hodin e sua equipe misturaram a enzima fosfatase alcalina intestinal com bebidas que contêm aspartame e constataram que houve uma atenuação na atividade da enzima. Esse efeito não foi observado quando a enzima foi misturada com bebidas açucaradas. Em seguida, os pesquisadores injetaram aspartame em diferentes partes do intestino de ratos e viram que os níveis da enzima despencaram em 50%.

A equipe também encontrou evidências de que, quando consumido em combinação com uma dieta gordurosa, o aspartame pode levar a um aumento de peso. Os cientistas alimentaram um grupo de ratos com uma dieta rica em gordura durante 18 semanas. Os resultados mostraram que aqueles que também receberam aspartame engordaram mais do que aqueles que não ingeriram o adoçante.

Os ratos alimentados com aspartame também apresentaram maiores níveis de açúcar no sangue entre as refeições. A não absorção de açúcar no sangue é um sinal precoce de diabetes, e isso foi observado tanto nos ratos alimentados com uma dieta gordurosa quanto naqueles com uma dieta “normal”. O estudo ainda encontrou uma associação entre o aspartame e níveis mais elevados de inflamação nos ratinhos.

Apesar da descoberta, os autores alertam que esses resultados se aplicam somente ao aspartame e não a outros adoçantes artificiais, já que o produto de sua quebra é diferente. Eles ressaltam também que ainda são necessários estudo em humanos para que essas descobertas possam se confirmar.

Fonte: Veja Saúde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s