Mais um leite vegetal introduzido no mercado

Mais um leite vegetal introduzido no mercado

Nunca foi tão fácil evitar derivados do leite, graças ao crescimento de uma variedade cada vez maior de produtos feitos à base de leite de proteína vegetal, como arroz, soja, cânhamo, aveia, coco, amêndoa, macadâmia, avelã e caju.

Mesmo assim algumas pessoas não podem consumir alguns desses tipos de leite devido a alergias, como às nozes e à soja. Outras alternativas parecem prejudiciais ao meio ambiente, devido ao desperdício no uso de água, como na fabricação do leite de amêndoa.

Para piorar, mulheres podem estar preocupadas com os compostos de estrogênio presente na soja. E também há alternativas de leite que deixam a desejar quanto a vitaminas e nutrientes, como a falta de proteína.

Agora é a vez do leite de ervilha: a mais nova bebida sem lactose, vegana e livre de nozes, soja e glúten. E também é ambientalmente sustentável, além de ter mais proteína e cálcio que outros leites alternativos.

O leite de ervilha não tem gosto de legume e não é feito da mesma maneira que o leite de amêndoas, por exemplo, que tem excesso de água na composição.

Na Bolthouse Farms, tudo começa com a colheita de ervilhas amarelas, que são moídas com farinha. Essa farinha é processada, separando a proteína da ervilha de outras fibras e do amido. Essa proteína é purificada e misturada a outros ingredientes, como água, óleo de girassol e sal marinho, levando ainda a adição de vitaminas, como a B12.

“Em todas as alternativas de leite no mercado são feitas algumas compensações de sabor, de cálcio e principalmente de proteína”, afirma Suzanne Ginestro, afirma a diretora de inovação e marketing da companhia.

O leite da Bolthouse Farms tem dez gramas de proteína por porção, comparado a um grama do leite de amêndoas. Ele também tem mais cálcio que o leite comum e é fortificado com 110% das necessidades diárias de vitamina B12, uma ideia que veio a partir de uma pesquisa que “descobriu que vegetarianos têm dificuldades de obter fontes de vitaminas B12 encontrada naturalmente em produtos animais”, afirma Ginestro. Como benefícios ao meio ambiente, o leite de ervilha “exige muito menos água do que amêndoas e emite muito menos gases de carbono do que a criação de vacas”, explica a diretora.

Enquanto os leites a base de plantas estão em alta, as vendas do leite tradicional seguem em queda – embora as vendas de queijos e iogurtes sigam elevadas. Uma pesquisa recente do Grupo Nielsen apontou que a categoria de leites vegetais chegou a 3,1% do mercado de leites no último ano, enquanto as vendas de leite de vaca caíram 5%. O levantamento destaca que o leite de amêndoas é o substituto mais vendido dos Estados Unidos, com crescimento de vendas de 250% de 2011 a 2015.

 

Fonte: AgroLink

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s