A relação entre alergia ao leite e problemas de desenvolvimento

shutterstock_278908013_0.jpg

Crianças que sofrem com alergias persistentes ao leite de vaca podem crescer menos e atingir menos peso, durante a pré-adolescência, quando comparadas com as que são alérgicas a amendoim ou a nozes, de acordo com uma revisão retrospectiva, apresentada  durante a Conferência Conjunta de Asma e Imunologia da Academia Americana de Alergia e da Organização Mundial de Alergia.

“A relação entre as alergias alimentares e os padrões de crescimento na infância é complexa. Temos uma compreensão incompleta sobre a influência que as alergias alimentares têm sobre o desenvolvimento das crianças.

O estudo começa a preencher essa lacuna, mas são necessários estudos mais aprofundados, especialmente quando as crianças entram na adolescência, para avaliar se esses déficits de crescimento são transitórios ou duradouros”, afirma o pediatra Moises Chencinski.

Entre 6-8% das crianças nos EUA sofrem de alguma alergia alimentar, de acordo com a Academia Americana de Alergia. Oito grupos de alimentos são responsáveis por 90% das reações alérgicas graves, incluindo leite, ovos, peixes, crustáceos, trigo, soja, amendoim e nozes, segundos dados dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças.

A alergia ao leite de vaca, em particular, pode excluir uma grande variedade de alimentos da dieta da criança, durante a primeira infância, época em que estão em crescimento. Segundo os autores da pesquisa, há um contínuo risco de déficit de altura e peso entre crianças com alergias alimentares e as crianças alérgicas ao leite de vaca estão em maior risco. “Além de não consumirem leite de vaca em sua dieta, a alergia restringe severamente uma grande variedade de itens alimentares para crianças em crescimento.

Essas crianças também frequentemente têm alergias a outros alimentos”, afirma Moises Chencinski. Para avaliar como as alergias alimentares específicas afetam a altura e o peso das crianças, a equipe do estudo realizou uma revisão longitudinal do quadro de crescimento de 191 crianças.

Para serem incluídas no estudo, as crianças tiveram que fazer pelo menos uma visita clínica, a partir do momento em que tinham entre 2 a 4, 5 a 8 e 9 a 12 anos, idades que vão desde a infância até a pré-adolescência. Em cada visita clínica, a equipe de pesquisa registrou peso, altura, comorbidades, como asma, eczema e alergias sazonais, e o uso de corticosteroides inalados.

Eles calcularam as diferenças médias nas pontuações de altura, peso e índice de massa corporal (IMC), que atuam como o percentil que as crianças e os pais conhecem durante as consultas infantis, comparando valores entre o que é normal em crianças da mesma idade e gênero e na população em geral. “Crianças que são alérgicas ao leite de vaca apresentaram menor peso e altura médias quando comparadas com crianças que são alérgicas a amendoim e a nozes.

Este déficit de crescimento permanece proeminente nas faixas etárias de 5 a 8 anos e de 9 a 12 anos”, informa o pediatra. Uma pesquisa futura explorará se as crianças mais velhas, com alergia ao leite de vaca, conseguem superar essa diferença na altura, durante a adolescência, ou se as diferenças de crescimento persistirão durante a vida.

Fonte: GuiaLat

7 respostas em “A relação entre alergia ao leite e problemas de desenvolvimento

  1. Pingback: Brasileiro está se interessando cada vez mais pela cultura do mofo no queijo | + Bio

  2. Pingback: Ozônio é aliado da pecuária, entenda como | + Bio

  3. Pingback: Trocar vacas por amêndoas para iogurte vegano foi a saída escolhida por gigante do setor | Blog +Bio

  4. Pingback: Estuda aponta bebida eficaz na recuperação muscular | Blog +Bio

  5. Pingback: O solo é de grande importância para a rebanho leiteiro | Blog +Bio

  6. Pingback: O solo é de grande importância para o rebanho leiteiro | Blog +Bio

  7. Pingback: Somente um médico pode diagnosticar sua alergia a alimentos | Blog +Bio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.