O que adoçantes trazem à nossa saúde?

O que adoçantes trazem à nossa saúde?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a ingestão de açúcar deve representar de 5% a 10% das calorias diárias, o que corresponde a cerca de 100 a 200 calorias (em uma dieta de 2.000 calorias).

No entanto, segundo especialistas, o consumo diário do brasileiro chega a atingir 16% a 18%, número muito acima do recomendado, o que pode trazer muitos malefícios à saúde, como ganho de peso, aumento do risco de diabetes e das reservas de gordura no fígado, por exemplo.

Para evitar o consumo exagerado, algumas pessoas reduzem a quantidade de açúcar das refeições, preferindo optar pelos adoçantes, que costumam ser utilizados principalmente por quem deseja controlar o peso ou monitorar o diabetes. Apesar disso, muitos consumidores desconhecem as variedades disponíveis no mercado, quais são as diferenças entre elas e se existe algum risco em utilizar o produto.

O corpo utiliza o açúcar como fonte de energia, que se não for gasta, acaba acumulando no organismo e virando gordura. Em momentos em que essa energia não é necessária — como após uma refeição ou antes de dormir —, o açúcar pode ser excluído, o que ajuda a evitar o ganho de peso. No entanto, quando o corpo demanda um aumento energético, como antes de uma atividade física, o uso do açúcar é muito bem-vindo já que a energia será gasta.

De acordo com a nutricionista Elaine Moreira, qualquer pessoa que queira se adequar às recomendações da OMS ou evitar os riscos do consumo demasiado de açúcar pode utilizar o adoçante. Ela ainda conta que os edulcorantes (aditivos utilizados na fabricação do adoçante) não aumentam a glicemia, entregam pouca ou nenhuma caloria, e não causam cáries.

No entanto, existe muita preocupação quando o assunto é adoçante na alimentação infantil. Para a nutricionista, o produto deve ser utilizado apenas em caso de necessidade (obesidade e diabetes, por exemplo) para evitar o baixo peso, que pode atrapalhar no crescimento e desenvolvimento da criança.

A principal diferença entre os adoçantes naturais e artificiais está nos ingredientes utilizados na sua produção e no sabor. Os primeiros são produzidos com edulcorantes vindos da natureza, como é o caso da stevia, que é extraída de uma planta chamada de Stevia Rebaudiana, cujas folhas possuem substâncias doces, conhecidas como glicosídeos. Os adoçantes a base de xilitol, extraído do milho, também são de origem natural.

Já os adoçantes artificiais são feitos com substâncias químicas sintéticas que estimulam os receptores de sabor doce na língua. Os mais conhecidos são o aspartame, sacarina, sucralose e acessulfame de potássio.

Apesar das muitas polêmicas envolvendo os adoçantes, a nutricionista afirma que ser natural ou artificial não torna o produto melhor. “Antes de chegarem ao mercado os adoçantes são testados, se eles passam é porque são seguros. A diferença está no gosto, alguns deixam sabor residual na boca, como é o caso da sacarina. Outros como a sucralose e o xilitol têm um sabor mais parecido com o do açúcar”, explica.

Fonte: Veja Saúde

2 respostas em “O que adoçantes trazem à nossa saúde?

  1. Pingback: Somente um médico pode diagnosticar sua alergia a alimentos | Blog +Bio

  2. Pingback: A relação entre os suplementos de vitamina D e a saúde óssea | Blog +Bio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.