O valor da nutrição numa leitura de saudabilidade ampla.

Apresentação_1-03
A questão da saudabilidade norteia todas as tendências em nutrição para os próximos anos – e, com ela, vem aquela velha pergunta: como iremos viver até os 150 anos com saúde e qualidade de vida? Afinal, ninguém quer chegar lá capengando. Não é novidade para o nosso setor,  que a nutrição terá um papel fundamental na conquista desta longevidade. Mas, não é só isto, precisamos pensar de forma ampla e analisar todos os aspectos que interagem com o ser humano em busca de uma vida mais saudável e longeva.
Ao analizar mais de perto, podemos dividir em dois grupos importantes promotores da nossa longevidade.
Acompanhe o raciocínio.
GRUPO 1 –  OS INDIVÍDUOS
Sim, somos nós. Com nossas heranças genéticas e o modo como interagimos com a vida e o meio em que vivemos.
Fatores que irão determinar nossa longevidade:
• DNA, para ter vida longa o indivíduo precisa ter em sua genética a saúde como “destino hereditário”;
• QUALIDADE DE VIDA, só vive mais, quem se preocupa com seu bem-estar e com seu modo de vida;
• CONSCIENTIZAÇÃO, é preciso estar consciente das nossas escolhas durante a vida, saudáveis ou não, irão determinar nosso futuro. Por isto, é tão importante ter uma dieta saudável, fazer exercícios físicos, controlar o stress e estar atento às nossas atitudes e hábitos.
GRUPO 2 – O AMBIENTE
O ambiente em que vivemos tem papel fundamental no desenvolvimento humano e na saúde.
Fatores que irão determinar nossa longevidade:
• AMBIENTE PÚBLICO, não adianta querer viver até os 100 anos, se não existem condições de saneamento básico, água e esgoto que ofereçam condições para que os indivíduos sobrevivam. Aqui não podemos deixar de considerar questões como programas de prevenção e nutrição, hospitais e medicamentos acessíveis;
• SEGURANÇA PÚBLICA, EDUCAÇÃO e HABITAÇÃO são também fatores que contribuem com o bem-estar da população e promovem o desenvolvimento saudável de um país;
• SUSTENTABILIDADE, ideias, projetos e programas sustentáveis irão lidar com questões como o aumento da população e a interação dos indivíduos no lugar que habitamos.
E a nutrição?
Será o acesso à longevidade, seja ela in natura ou através das indústrias de alimentos, farmacêutica ou de suplementos. A nutrição será o grande canal da longevidade e irá conduzir e acelerar os estudos e desenvolvimentos de novos produtos da indústria de alimentos a curto e a longo prazo.
Eduardo Feliz
Granotec do Brasil

Teor de Sódio em alimentos industrializados.

shutterstock_127894874

Uma pesquisa divulgada pela ANVISA mostra que os campeões em alto teor de sódio são o queijo parmesão ralado, o macarrão instantâneo, os embutidos (mortadela) e o biscoito de polvilho. De acordo com o órgão, o brasileiro consome duas vezes mais sal em relação à quantidade recomendada e grande parte vem de alimentos industrializados. O queijo parmesão ralado lidera o ranking, com teor médio de 1.981 miligramas de sódio por 100 gramas do produto. Nas colocações seguintes, aparecem o macarrão instantâneo e a mortadela. O biscoito de polvilho tem quantidade média de 1.092 miligramas do ingrediente para cada 100 gramas. O queijo ricota, muito consumido em dietas, também apresentou altas variações de sódio entre as marcas avaliadas. Ao todo, foram analisados 496 produtos de 26 categorias de alimentos. Os alimentos industrializados representam 20% da dieta alimentar. O brasileiro consome, em média, 11,75 gramas de sal e 4,7 gramas de sódio, quando o recomendado são 5 gramas e 2 gramas, respectivamente. O sódio representa aproximadamente 40% da composição do sal. O governo e os representantes da indústria e dos supermercados firmaram acordo, iniciado em 2011, pela diminuição progressiva do sódio nos alimentos. Em 2013, produtos com menos sódio já estão disponíveis no mercado. O acordo vai ajudar a reduzir aos poucos a quantidade de sal nos produtos.

Fonte: http://www.portal.anvisa.gov.br

SENAI: Curso Superior em Tecnologia em Alimentos.

A Faculdade de Tecnologia SENAI Horácio Augusto da Silveira oferece o Curso Superior em Tecnologia de Alimentos, com duração de três anos, no período noturno. O processo seletivo é semestral, com ingresso de 40 alunos. O curso possui carga horária de 2800 horas, incluindo 400 horas de estágio supervisionado obrigatório. O aluno formado terá a habilitação profissional em Tecnólogo em Alimentos e estará apto a planejar, implantar e gerir processos produtivos da indústria de alimento e desenvolver produtos e processos garantindo a qualidade e a segurança dos alimentos, cumprindo as normas da legislação pertinente. Atender às necessidades das empresas do setor alimentício foi  imperativo para a concepção do Curso Superior de Tecnologia em Alimentos, levando-se em consideração, principalmente, o número de empresas desse segmento e os indicadores de crescimento do setor, tais como aumento de empregos e produção e exportação. O conteúdo programático aborda diferentes segmentos do setor, dentre eles balas, biscoitos, chocolates, massas e panificação. O desenho curricular do Curso Superior de Tecnologia em Alimentos foi elaborado a partir do perfil profissional estabelecido por Comitê Técnico Setorial da área da indústria de alimentos constituído por especialistas do SENAI das áreas tecnológicas e de educação profissional, representantes de empresas, representantes de órgãos públicos ligados à área e, ainda, representantes de associações de referência técnica. Em função desse trabalho, o curso se consolida numa oferta formativa coerente com a demanda do Mercado de trabalho. A organização curricular do curso é composta por três módulos: básico, específico e final. O aluno concluinte dos três módulos, juntamente com o estágio supervisionado, fará jus ao diploma de Tecnólogo em Alimentos. Já os concluintes apenas dos módulos básico e específico terão o certificado de qualificação profissional tecnológica de nível superior em Assistente de Produção de Alimentos. O curso possui um currículo estruturado em ciência, tecnologia e gestão.

A ciência fornece a base científica, que proporciona ao aluno a compreensão teórica para o desenvolvimento pleno da área tecnológica escolhida. A tecnologia proporciona conhecimento integral do processo de produção da area de alimentos, facilitando a participação no planejamento, desenvolvimento, gestão, avaliação e tomada de decisões. A gestão proporciona a incorporação de atitudes necessárias às novas formas de organização do trabalho e a convivência em sociedade como, por exemplo, trabalhar de modo coorporativo. O corpo docente das Faculdades de Tecnologia SENAI Horácio Augusto da Silveira é formado por especialistas, mestres e doutores que, além do conhecimento científico, possuem conhecimento prático, pois atuam efetivamente em atividade profissional relacionada à área tecnológica. A Faculdade de Tecnologia SENAI Horácio Augusto da Silveira possui excelente infraestrutura composta por plantas piloto de industrialização de alimentos e laboratórios que proporcionam ao aluno a experiência prática, além de uma biblioteca com acervo especializado na área de alimentos.

 

Fonte: www.sp.senai.br/alimentos

Tendências!

shutterstock_110857847

Os consumidores criam as tendências de mercado. Tendências de mercado orientam as inovações. Inovações levam ao sucesso. Como você distingue uma demanda real de mais um produto no mercado – e como capitalizar as idéias para inovar antes da concorrência?

Eles querem conforto e para tal buscam alimentos seguros, derivados de fontes confiáveis e de origens conhecidas. Também querem praticidade, conveniência e experiências gastronômicas que lhes dêem satisfação e prazer – de preferência com o estilo caseiro, combinando simplicidade e qualidade.

Seus consumidores querem mais prazer e satisfação em suas vidas – e em seus alimentos. Comer é uma jornada sensorial.
Querem tudo ao mesmo tempo: economia de tempo, praticidade, conveniência, rapidez e flexibilidade. Mas conveniência não significa comprometimento.
Consumidores levam nutrição a sério. As vendas de alimentos que contêm ingredientes nutricionais como fibras, antioxidantes e grãos integrais têm crescido ano após ano.

Transforme tendências de mercado em realidade. Reduzindo gorduras e calorias e adicionando nutrientes e fibras aos produtos – tudo mantendo a alta expectativa da experiência sensorial “de comer” dos seus consumidores.

Rótulo

Hoje, os consumidores querem ingredientes, cujos nomes nos rótulos eles entendam e possam pronunciar, fáceis de entender e realçam a qualidade dos seus produtos. Estes proporcionam uma agradável sensação de “feito-em-casa” e resistem às típicas condições de processamento dos alimentos.

Fonte: http://www.revista-fi.com/

Que tal um Guacamole?

O guacamole, alimento à base da polpa do abacate, é uma opção saudável e saborosa para saladas, comidas e aperitivos. O abacate ajuda a controlar o colesterol, melhora o sistema circulatório e a pele. É indicado também para combater a fadiga, depressão e prevenir problemas cardíacos e derrame. Além disso, colabora para equilibrar o funcionamento do fígado e acalmar o sistema nervoso.

Neste curta metragem, veja uma forma muito criativa de prepará-la. O filme chegou a ser indicado ao Oscar de melhor curta metragem em animação!

Fonte: http://www.junk-culture.com/