Extratos de casca de cebola ajudam na hiperglicemia e criam resistência à insulina em dieta rica em gordura.

shutterstock_114283885

Derivados de quercetina, encontrados na cebola, além de possuírem propriedades farmacológicas, tais como antiinflamatória, anticarcinogênica – pois atuam no sistema imunológico – , antiviral, e anti-histamínicas (antialérgicas), foram considerados como os flavonóides mais importantes para melhorar o estado do diabético em células e modelos animais. Em estudo realizado examinou-se a capacidade da hipoglicemia e da sensibilização à insulina sobre o extrato de casca de cebola (OPE), em uma dieta rica em gordura contendo alta quercetina. OPE pode melhorar a resposta da glicose e criar resistência à insulina que é associada com a diabetes tipo 2, aliviando a desregulação metabólica de ácidos gordos livres, o stress oxidativo suprimindo, regulando-se a captação de glicose em tecidos periféricos, e / ou para baixo-regulação da expressão do gene inflamatória no fígado. Além disso, na maioria dos casos, OPE mostrou maior potência do que pura equivalente quercetina. Estes resultados fornecem uma base para a utilização da casca de cebola para melhorar a insensibilidade à insulina em pacientes com diabetes tipo 2.

Ano: 2011
Autor: Ji Young Jung, Yeni Lim, Min Sun Moon, Ji Yeon Kim e Oran Kwon (Department of Nutritional Science and Food Management, Ewha Womans University)
Fonte: http://www.nutritionandmetabolism.com/content/8/1/18