Gordura trans será banida dos EUA em três anos

revista-saude-gordura-trans

A FDA, a agência americana que regula medicamentos e alimentos, anunciou que os alimentos com gordura trans devem ser retirados do mercado em um prazo de três anos. “Os óleos vegetais parcialmente hidrogenados (PHO), principal fonte das gorduras trans nos alimentos processados, não são em geral considerados seguros para serem utilizados na alimentação humana”, afirmou a FDA em um comunicado.

Trata-se de uma gordura obtida a partir de um processo químico chamado hidrogenação. Por derivar de óleos vegetais, era considerada uma opção saudável na alimentação, mas estudos feitos a partir dos anos 1980 mostraram que a gordura é extremamente prejudicial à saúde. Ela aumenta o LDL (colesterol ruim) e diminui o HDL (colesterol bom) e, por isso, aumenta o risco de doenças cardiovasculares. A gordura trans está presente em frituras, em todos os alimentos que levam margarina, além de fast-food, bolachas e pipocas de micro-ondas.

Acredita-se que o organismo não sintetize essa gordura, o que faz com que ela se acumule no corpo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a gordura trans não ultrapasse 1% das calorias totais consumidas em um dia por uma pessoa. “Esta ação da FDA contra a maior fonte artificial de gorduras trans demonstra o compromisso da agência com a saúde cardíaca dos americanos”, destacou o comissário Stephen Ostroff ao anunciar a medida.

O cerco à gordura trans começou a se fechar no fim de 2013, quando a FDA anunciou que planejava baní-la definitivamente dos cardápios. Só agora, contudo, divulgou as regras finais e deu o prazo de três anos para que a indústria alimentícia se adeque. Desde 2006 os fabricantes destes produtos nos Estados Unidos eram obrigados a incluir informações nos rótulos com advertências claras aos consumidores sobre o uso deste tipo de gordura. A medida da FDA deve evitar 20.000 infartos e 7.000 mortes por doenças do coração a cada ano nos EUA.

Fonte: Veja Saúde

Conheça os cinco maiores vilões da alimentação que elevam o colesterol.

shutterstock_115517281

Segundo a Organização Mundial de Saúde(OMS), as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte, sendo responsáveis por 30% das mortes no mundo. A base para ocorrência de doenças cardiovasculares é a aterosclerose. A formação da placa de ateroma na parede dosvasos sanguíneos está associada a hipercolesterolemiahipertrigliceridemia, diminuição do HDL-c, hipertensão arterial sistêmicadiabetes mellitus obesidade.

O colesterol do nosso organismo tem duas origens:

Endógena: Em torno de 80% do colesterol é produzido pelo nosso próprio corpo, principalmente pelo fígado.

Exógena: É adquirido através dos alimentos principalmente de origem animal: gema de ovo, leite e derivados, carne bovina, pele de aves e miúdos, frutos do mar.

Apesar de o colesterol alimentar estar relacionado à elevação do colesterol no sangue, os maiores vilões para que isto ocorra são grande ingestão das gorduras trans e gorduras saturadas, menor participação de alimentos fontes de colesterol como o ovo e o camarão.

Ácidos graxos saturados: manteiga, dendê, leite integral, bacon, toucinho, carne bovina gorda, queijos amarelos, creme de leite.

Efeitos negativos à saúde:

•  Aumento da incidência de doença coronariana;

•  Aumento da colesterolemia;

Ácidos graxos trans: são produzidos por meio de hidrogenação, processo que se aplica aos óleos vegetais líquidos à temperatura ambiente, com o objetivo de conferir consistência de semissólida a sólida. A principal fonte de gordura trans na dieta é a gordura vegetal hidrogenada, utilizada industrialmente na produção de biscoitos, bolachas recheadas, empanados tipo nuggets, sorvetes cremosos, tortas e alimentos comercializados em restaurantes fast-food.

Efeitos negativos: Elevam o LDL-Colesterol , a colesterolemia, reduzem o HDL-colesterole grande associação entre consumo de trans e incidência de doença coronariana.

Conheça os 5 maiores vilões que elevam o colesterol sanguíneo:

1. Margarina (fonte de gordura Trans): muita atenção aos produtos industrializadosconfeccionados à base de margarina como nuggets, biscoitos recheados, sorvete cremosos, croissant. São alimentos ricos em gordura trans. A margarina não deve ser utilizada em pães ou preparações, podem ser usados creme vegetal ou queijos magros ou na versão light com redução de gordura.

2. Frituras: batata frita, pastel, salgadinhos. Mesmo utilizando óleo vegetal (canola ou soja) ou azeite, se um alimento for utilizado em elevadas temperaturas ele passa por reações químicas oferecendo perigo à saúde, se tornando um óleo saturado. O ideal é fazer preparações assadas, cozidas e ensopadas. Ainda contém grande quantidade de sódio. Alimentos fritos são ricos em ácidos graxos saturados.

3. Carnes gordas: miúdos, bacon, costela, vísceras (fígado, coração), pernil, pele do frango, embutidos (salsichão, salsicha, mortadela, salame), são ricos em gorduras saturadas. Ao se preparar carnes, deve-se remover a gordura aparente e a pele (aves), pois a gordura penetra no interior da carne durante o preparo. Entre os tipos de preparação, deve-se dar preferência ao grelhado, bem passado, pois a carne mal passada com gordura apresenta as maiores taxas de gordura saturada. Dar preferência aos assados, cozidos, ensopados e grelhados.

4. Queijos “amarelos”: prato, coalho, emental, brie, cheddar, mussarela, parmesão, minas padrão, entre outros. Estão presente em sanduiches e em inúmeras preparações, são alimentos ricos em gorduras saturadas. A crença popular de que queijos de cor branca são adequados à saúde cardiovascular deve ser revista. Queijos minas padrão, requeijão e cream cheese têm alto teor de gordura saturada. Qualquer queijo cujo principal ingrediente seja o leite integral será fonte de gorduras saturadas. Podem ser substituídos por cottage, ricota, requeijão light, minas frescal light (cuidado com o tamanho da fatia), queijo prato light, mas sempre usando com moderação.

5. Leite integral, manteiga e creme de leite:Estes alimentos estão inseridos em muitas preparações: suflês, bolos, molhos cremosos, doces (tortas, pavês), sopas cremosas, empadões, quiches, saladas cremosas. São grandes fontes de gordura saturada e de calorias. Em substituição ao leite integral pode ser usado leite desnatado e em preparações que utilizem creme de leite pode ser usado requeijão light, creme de ricota, requeijão 0% de gordura ou iogurte.

Fonte: http://globoesporte.globo.com

Gordura Saturada x Gordura Trans: malefícios que elas causam à saúde

Falta de atividade física e dieta rica em gordura saturada e gordura trans acarreta o aparecimento e agravamento de diversos tipos de doenças crônicas

A doença cardiovascular é uma das principais causas de morte no mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o consumo de dietas inadequadas, juntamente com a falta de atividade física, está entre os 10 maiores fatores determinantes de mortalidade. Inúmeros estudos associam a composição da dieta aos principais fatores de risco de doenças cardiovasculares. Ou seja, precisamos não somente restringir calorias, mas avaliar a qualidade do alimento ingerido.

shutterstock_138061871

Gordura saturada x Gordura Trans
Durante muitos anos pesquisadores consideraram a gordura saturada como grande vilã e responsável pelo aparecimento e agravamento de inúmeras doenças crônicas, principalmente as doenças cardiovasculares. Em contrapartida, a indústria alimentícia substituiu a gordura saturada pela gordura trans e a população começou a ingerir maisprodutos industrializados. Anos depois, estudos observaram que o consumo da gordura trans era mais prejudicial à saúde do que a gordura saturada.

Gordura Saturada: está presente em alimentos de origem animal (carnes, leite, manteiga, creme de leite e queijos) e vegetais como coco, cacau e azeite de dendê.
A polpa de coco e o cacau são boas fontes por terem propriedades funcionais. Diferente do colesterol da dieta (gema de ovo, frutos do mar e etc), que tem absorção limitada pelo organismo, a absorção da gordura saturada da dieta não é limitada, por isso sua ingestão promove efeito mais intenso sobre a colesterolemia (presença de colesterol no sangue). Ocasionando aumento da concentração sanguínea de LDL-colesterol (colesterol ruim).

Gordura Trans: não são produzidas no organismo humano e resultam de processo natural de bio-hidrogenação ou de processo industrial de hidrogenação parcial ou total de óleos vegetais ou marinhos.
A principal fonte de gordura trans na dieta é a vegetal hidrogenada, utilizada industrialmente na produção de biscoitos, bolachas recheadas, empanados tipo nuggets, sorvetes cremosos, tortas e alimentos comercializados em restaurantes “fast-food”. Embora esses ácidos graxos sejam abundantes nas margarinas duras, representam apenas 10% do consumo de gorduras trans, sendo os alimentos industrializados a maior fonte.

O principal efeito metabólico dos ácidos graxos trans em relação às doenças cardiovasculares é elevação do colesterol total e a lipoproteína de baixa densidade (LDL-c o colesterol ruim). Esta gordura é mais prejudicial à saúde do que a gordura saturada por reduzir a lipoproteína de alta densidade (HDL-c o colesterol bom). Observa-se também elevação dos triglicerídeos plasmáticos e prejuízo da sensibilidade à insulina (principalmente em indivíduos com resistência à insulina).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 2003, incluiu a notificação da gordura trans como item obrigatório na rotulagem nutricional dos alimentos industrializados comercializados no Brasil.

A OMS preconiza a ingestão de gordura trans inferior a 1% do valor energético diário e até mesmo sua exclusão nos alimentos industrializados.

Gorduras Insaturadas: não favorecem o aparecimento de doenças cardiovasculares e podem ser divididas em monoinsaturadas (azeite de oliva, abacate, óleo de canola, oleaginosas como castanhas e nozes) e poliinsaturadas, como o Ômega-3 (peixes de água fria) e o Ômega-6 (óleos de canola e soja).

Gordura: vilã ou Mocinha
Quando ingerida em equilíbrio, as gorduras não são vilãs, pois possuem funções importantes no organismo humano: fornecimento de energia, base para a formação de diversos hormônios, absorção das vitaminas lipossolúveis A, D, E e K.

As gorduras devem fazer parte de em torno de 25 a 30% do total das calorias da dieta. As gorduras saturadas devem ter sua ingestão reduzida e serem substituídas pelos ácidos graxos monoinsaturados como o azeite de oliva, óleo de canola, abacate e oleaginosas (castanha do Brasil, nozes, amêndoas). A ingestão de gordura saturada deve ser inferior a 10% das calorias da dieta.

Para a manutenção da saúde e prevenção de doenças é necessário hábito de vida saudável através da prática esportiva e alimentação equilibrada com aumento de ingestão de fibras (alimentos integrais, aveia, chia, linhaça); “gorduras boas”; redução de açúcares e sal; ingerir pelo menos 5 porções diárias de frutas, verduras e legumes.

Fonte: Eu Atleta