Cooperativa Santa Clara lança Queijos Minas Frescal e Mussarela Zero Lactose

Em benefício das pessoas que têm intolerância à lactose e atenta às necessidades de seus consumidores, a Cooperativa Santa Clara desenvolveu dois novos produtos: os queijos Minas Frescal e Mussarela Zero Lactose. A Santa Clara é a primeira empresa do Sul do país a produzir os queijos zero lactose.

Por não passarem por nenhum tipo de maturação, os queijos Minas Frescal e Mussarela normalmente são queijos com maior teor de lactose. As versões zero lactose são produzidas a partir da hidrólise (quebra) da lactose no leite, através da enzima lactase.

Algumas características específicas dos produtos sem lactose são encontradas nos novos queijos: leve escurecimento em virtude do aquecimento e também um sabor levemente mais adocicado, além da alta digestibilidade em virtude da quebra da lactose.

O Queijo Minas Frescal Zero Lactose já pode ser encontrado no mercado em versões de 330 gramas. Em breve, os intolerantes à lactose poderão encontrar também o Queijo Mussarela Zero Lactose em duas versões: fatiado com 150 g e em formas de 3,5 Kg.

Unknown

Conheça o equipamento que está revolucionando o mercado lácteo clicando aqui.

Fonte: Santa Clara

Produtos sem lactose ganham espaço após lei em Juiz de Fora/MG.

shutterstock_63075922

Depois das leis que obrigaram os supermercados a reservarem um espaço para produtos diet e sem glúten, agora os produtos sem lactose ganharam espaço nas prateleiras de Juiz de Fora. Entrou em vigor este ano na cidade a Lei Municipal que determina que supermercados e hipermercados devem expor aos consumidores uma gôndola específica para estes produtos. A lei ainda será regulamentada, mas para quem tem intolerância, a inciativa deve facilitar a compra.

O não cumprimento da medida implica em multa, que varia entre R$500 e R$ 5mil. O valor pode ser dobrado em caso de reincidência. E a fiscalização será feita pela Secretaria de Atividades Urbanas.

A Lei N.º 13.102 – de 09 de fevereiro de 2015 é de autoria do vereador Roberto Cupolillo (Betão) e foi criada a partir do Projeto nº 60/2014. “Essa ideia vem da própria população, e quando nós fizemos o primeiro projeto de lei era específico para diet, aí eles começaram a pedir para que fizesse outra do sem lactose ”, explicou.

Segundo a nutricionista Ludmila Riane, a intolerância à lactose não se trata de uma doença, mas é preciso ter cuidados. “A pessoa que tem a intolerância, ela não produz uma enzima que é responsável pela digestão da lactose, que é o açúcar do leite. Então a pessoa não consegue fazer a digestão, causando uma séria de sintomas bem desagradáveis pelo paciente”, afirmou.

A estudante Aline teve que aprender a identificar os produtos sem lactose para conseguir conviver bem com a intolerância e afirmou que um espaço reservado para isso vai facilitar a vida de quem tem o problema. “Nas lojas especializadas é mais fácil, mas mesmo assim tem que procurar. No mercado mesmo é mais difícil, tem que ler todos os rótulos”, contou.

Fonte: G1