Proteínas de Laticínio + Soja: DAIRY PROTEINS + SOY.

shutterstock_89334763

Um novo estudo publicado na edição online do Journal of Applied Physiology mostra benefícios adicionais por consumir uma mistura de proteínas de laticínios e de soja após de exercícios de resistência para aumentar a massa muscular. A pesquisa descobriu que a combinação de soja, caseína e soro de leite (whey) depois da malhação prolonga a entrega de aminoácidos seletos para os músculos por uma hora a mais do que usando o soro sozinho. Também mostra um aumento estendido do equilíbrio da cadeia de aminoácidos dos músculos da perna durante o começo da recuperação de um exercício, sugerindo uma tonificação dos músculos prorrogada.

“Este estudo esclarece o quão importantes combinações únicas de proteínas, quando comparadas a uma fonte só, são para a recuperação muscular após exercícios físicos e podem ajudar a estender a disponibilidade de aminoácidos, ajudando a promover o crescimento dos músculos,” diz Blake B. Rasmussen, Presidente do Departamento de Nutrição e Metabolismo do Programa de Medicina da Universidade do Texas e pesquisador na liderança do estudo.

Esta nova pesquisa se constrói em uma publicação mais antiga que diz que uma mistura de soja e laticínios estende a síntese proteica dos músculos quando comparada ao soro sozinho, já que apenas a combinação manteve os níveis de síntese elevados de 3 a 5 horas depois do exercício. Juntos, estes estudos indicam que o uso dos blends de soja e laticínios pode ser uma estratégia eficiente para indivíduos ativos que procuram produtos para ajudar sua saúde muscular.

“Por causa do aumento da demanda por proteína de alta qualidade, este estudo provém um olhar crítico para a indústria alimentícia como um todo, e para o mercado de nutrição esportiva em particular,” diz Greg Paul, diretor global de marketing da DuPont Nutrition & Health. “Com mais e mais consumidores reconhecendo a importância da proteína para sua saúde em geral e seu bem-estar, os resultados deste estudo tem relevância em particular para um grande segmento da população, desde os aficionados por espores e fitness, como o público geral.”

O estudo clínico duplo-cego randomizado incluiu 16 sujeitos saudáveis, de idades entre 19 e 30 anos, para determinar se o consumo de blends de proteínas com níveis de digestão diferentes iriam prolongar a disponibilidade de aminoácidos e levar ao aumento da síntese muscular de proteína após o exercício.

As bebidas de proteína dadas aos participantes consistiam de uma mistura de soja e laticínios (25% de proteína de soja DuPont Danisco SUPRO, 50% de caseinato, 25% de proteína do soro do leite – whey protein), ou uma única fonte (proteína de soro isolada). Biópsias dos músculos foram feitas no inicio e até 5 horas após exercícios de resistência. As fontes de proteína foram ingeridas 1 hora depois de ambos os grupos se exercitarem.

O estudo diz demonstrar que o consumo de uma mistura de soja e laticínios leva a um aumento constante de aminoácidos, os construtores de músculo. Os dados mostram que esta mistura provém este aumento por aproximadamente 1 hora a mais do que a proteína do soro sozinha. O blend também sustentou um equilíbrio maior de cadeias de aminoácidos positivos do que a proteína do soro, sugerindo que há menos quebra de proteína muscular durante o curto período de tempo depois do consumo do produto de proteínas mistas.

O estudo foi conduzido por pesquisadores do Programa de Medicina da Universidade do Texas em colaboração com a DuPont Nutrition & Health. Pesquisas mais aprofundadas estão em vigor para identificar os efeitos a logo prazo na massa e forca muscular.

Fonte: http://www.revista-fi.com/noticias_ler.php?id_noticia=2804

A proteína do leite pode melhorar a saúde metabólica.

shutterstock_52782277

Temos uma boa notícia aos amantes de leite e derivados: estudos mostram que o consumo de produtos lácteos está associado com a diminuição de distúrbios metabólicos, enquanto evidências de um estudo experimental mostram que proteínas lácteas podem auxiliar a prevenção de diabetes tipo 2 (T2DM). O retardo da saúde metabólica é uma característica comum do sobrepeso, obesidade e do envelhecimento e é, também, o precursor da Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2), da doença cardiovascular (DCV) e é um crescente problema de saúde mundial. A “Sarcobesity” e a diabetes estão crescendo rapidamente entre os problemas de saúde. Bem como através de mecanismos diretos, a proteína de leite pode indiretamente melhorar a saúde metabólica, auxiliando a perda de peso corporal e massa gorda através de efeitos anabólicos de proteínas derivadas de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs lácteos). BCAAs aumentam a síntese protéica metabólica do músculo esquelético. A composição e processamento da proteína de leite tem um impacto na digestão, portanto, a otimização da composição da proteína de leite por meio da seleção e combinação de componentes de proteínas específicas no leite podem fornecer uma maneira de maximizar os benefícios para saúde metabólica. Portanto, para ter um metabolismo sempre em dia, aconselhamos o consumo diários de produtos lácteos como leite, iogurtes, queijos, natas, etc.

Ano: 2013
Autor: 
Robin A McGregor (School of Biological Sciences, University of Auckland e University of Auckland Human Nutrition Unit) e Sally D Poppitt (School of Biological Sciences, University of Auckland, University of Auckland Human Nutrition Unit, Department of Medicine, University of Auckland e Riddet Institute)
Fonte: 
http://www.nutritionandmetabolism.com/content/10/1/46