Extratos de casca de cebola ajudam na hiperglicemia e criam resistência à insulina em dieta rica em gordura.

shutterstock_114283885

Derivados de quercetina, encontrados na cebola, além de possuírem propriedades farmacológicas, tais como antiinflamatória, anticarcinogênica – pois atuam no sistema imunológico – , antiviral, e anti-histamínicas (antialérgicas), foram considerados como os flavonóides mais importantes para melhorar o estado do diabético em células e modelos animais. Em estudo realizado examinou-se a capacidade da hipoglicemia e da sensibilização à insulina sobre o extrato de casca de cebola (OPE), em uma dieta rica em gordura contendo alta quercetina. OPE pode melhorar a resposta da glicose e criar resistência à insulina que é associada com a diabetes tipo 2, aliviando a desregulação metabólica de ácidos gordos livres, o stress oxidativo suprimindo, regulando-se a captação de glicose em tecidos periféricos, e / ou para baixo-regulação da expressão do gene inflamatória no fígado. Além disso, na maioria dos casos, OPE mostrou maior potência do que pura equivalente quercetina. Estes resultados fornecem uma base para a utilização da casca de cebola para melhorar a insensibilidade à insulina em pacientes com diabetes tipo 2.

Ano: 2011
Autor: Ji Young Jung, Yeni Lim, Min Sun Moon, Ji Yeon Kim e Oran Kwon (Department of Nutritional Science and Food Management, Ewha Womans University)
Fonte: http://www.nutritionandmetabolism.com/content/8/1/18

A proteína do leite pode melhorar a saúde metabólica.

shutterstock_52782277

Temos uma boa notícia aos amantes de leite e derivados: estudos mostram que o consumo de produtos lácteos está associado com a diminuição de distúrbios metabólicos, enquanto evidências de um estudo experimental mostram que proteínas lácteas podem auxiliar a prevenção de diabetes tipo 2 (T2DM). O retardo da saúde metabólica é uma característica comum do sobrepeso, obesidade e do envelhecimento e é, também, o precursor da Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2), da doença cardiovascular (DCV) e é um crescente problema de saúde mundial. A “Sarcobesity” e a diabetes estão crescendo rapidamente entre os problemas de saúde. Bem como através de mecanismos diretos, a proteína de leite pode indiretamente melhorar a saúde metabólica, auxiliando a perda de peso corporal e massa gorda através de efeitos anabólicos de proteínas derivadas de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAAs lácteos). BCAAs aumentam a síntese protéica metabólica do músculo esquelético. A composição e processamento da proteína de leite tem um impacto na digestão, portanto, a otimização da composição da proteína de leite por meio da seleção e combinação de componentes de proteínas específicas no leite podem fornecer uma maneira de maximizar os benefícios para saúde metabólica. Portanto, para ter um metabolismo sempre em dia, aconselhamos o consumo diários de produtos lácteos como leite, iogurtes, queijos, natas, etc.

Ano: 2013
Autor: 
Robin A McGregor (School of Biological Sciences, University of Auckland e University of Auckland Human Nutrition Unit) e Sally D Poppitt (School of Biological Sciences, University of Auckland, University of Auckland Human Nutrition Unit, Department of Medicine, University of Auckland e Riddet Institute)
Fonte: 
http://www.nutritionandmetabolism.com/content/10/1/46