Tendências alimentares Brasileiras (parte II).

Com esse objetivo identificaram-se as recentes exigências e tendências dos consumidores mundiais de alimentos, com base em uma análise de relatórios estratégicos produzidos por institutos de referência, com a divisão de 5 categorias de grupos. Estes grupos são:

Sensorialidade e prazer
As tendências desta categoria estão ligadas ao aumento do nível de educação, informação e renda da população, entre outros fatores.

Os segmentos de consumo de produtos de maior valor agregado tendem a continuar crescendo, tanto em relação aos produtos gourmet premium, geralmente destinados à população de alta renda, como também para os alimentos sofisticados que têm preço acessível para os consumidores emergentes, os quais deverão representar os grandes mercados para a indústria de alimentos no futuro.

Saudabilidade e bem-estar
Tais tendências originam-se do envelhecimento da população e os avanços da ciência com estudos que vinculam determinadas dietas as doenças. O problema do excesso de peso e obesidade nas populações de vários países estimula os produtos para dietas, alimentos com redução ou eliminação de substâncias calóricas. Portanto, o segmento diet/light deve continuar sua tendência de crescimento, ao qual se está aliando uma nova categoria de produtos com ingredientes específicos para queimar calorias e saciar o apetite. Nos países desenvolvidos, consolida-se o consumo de alimentos orgânicos, os quais enfrentam a concorrência das versões naturais de produtos tradicionais, com eliminação de aditivos químicos, entre outras características.

Conveniência e praticidade
Motivadas principalmente pelo ritmo de vida dos grandes centros urbanos, tais tendências apontam um aumento da demanda por refeições prontas e produtos em pequenas porções, embalados em porções individuais, adequados para comer no transito ou em diferentes lugares ou situações. Mas estas tendências convergem com as de saúdabilidade e bem-estar aumentando a demanda porsnacks de vegetais, iogurtes, sucos enlatados e etc.

Confiabilidade e Qualidade
Consumidores mais conscientes e informados demandam produtos seguros e de qualidade e origem atestadas, com boas praticas de fabricação e controle de riscos. Nessa direção têm sido valorizadas características que são intrínsecas aos produtos, tais como a rastreabilidade e a garantia de origem, os certificados de sistemas de gestão de qualidade e segurança, a rotulagem informativa e outras formas de comunicação que as empresas possam utilizar para demonstrar os atributos dos seus produtos.

Sustentabilidade e ética
Em relação à sustentabilidade ambiental estão sendo valorizados produtos com uma menor “pegada” de carbono (carbon footprint), baixo impacto ambiental, não estar associado a maus-tratos aos animais, ter rotulagem ambiental, ter embalagens recicláveis e recicladas etc. Sob o aspecto social, tem aumentado o interesse por produtos vinculados a causas sociais, com certificados de origem de sistema fairtrade, além da simpatia pelas empresas com programas avaliados e certificados de responsabilidade social.

Fonte: http://www.rgnutri.com.br/

Tendências de alimentos embalados na América Latina.

“A indústria de alimentos embalados é muito dinâmico neste hemisfério, através de estilos de vida cada vez mais agitado, mas também mais conscientes da saúde. Isto leva a hábitos alimentares a evoluir e introduzir inovações para atender a demanda”, disse Sean Kreidler, Gerente de Pesquisa da América Latina em Euromonitor International. Cidades e estilos de vida costumam mudar, o que significa que os hábitos também variam de acordo com as novas necessidades. Um exemplo é o que está acontecendo aqui no Brasil, onde os consumidores já estão demonstrando algumas variações em suas preferências alimentares, bem como canais de distribuição para atender a estes produtos.

O inquérito revelou que os consumidores brasileiros estão procurando maneiras cada vez mais rápidas e convenientes de obter comida, de modo que as categorias com maior potencial são aqueles que oferecem pratos tradicionais. Exemplos são congelados pão de queijo (pão de queijo) ou frango congelado (aves marinadas, principalmente populares para o Natal).

A isto se soma aos lanches em pequenas embalagens e macarrão -, o último, que tem mostrado, de acordo com o relatório, uma grande popularidade em vários países da região, como Bolívia e Argentina.

Produtos embalados têm vindo a ganhar terreno, de modo que sua venda está movendo-se “cada vez mais além do reino do supermercado de varejo para atacados supermercados brasileiros. Estes supermercados atacadistas estão localizados fora dos centros urbanos e são extremamente populares entre os consumidores de baixa renda. Grandes famílias são o alvo principal e essas famílias estão dispostas a viajar longas distâncias ou fora de suas rotas normais para comprar produtos embalados em massa, evitando os hipermercados caros”.

Além disso, os brasileiros têm demonstrado outra tendência que está relacionado ao se tornaram mais sofisti.cados no café da manhã. O estudo revelou que, com a ascensão da classe média e o aumento da receita líquida, os consumidores brasileiros começaram a incorporar uma ampla variedade de produtos para o café da manhã tradicional consumida no Brasil, que consiste em pão com óleo ou gordura, ou manteiga com leite ou café .

A incorporação de novos produtos são aqueles que anteriormente eram considerados caros, como carnes processadas refrigeradas, bolos e cereais, sendo que comer feijão no café da manhã caiu na América Latina.

Fonte: http://FoodNewsLatam.com